09/03/2011

O erro e o desejo

Era noite de verão, os corpos quentes, o povo agitado e as bocas ardentes para serem tocadas.
Aline era uma adolescente de 19 anos da qual amava feito ninguém uma balada, ela havia namorado por quatro anos e agora que havia terminado ela queria muito aproveitar a vida de solteira.
Em uma das festas com sua amiga de muito tempo e a sua novíssima companheira de balada sua irmã, nelas chegaram dois meninos o Bruno e o Lucas. Bruno o mais novo logo se encantou por Eva irmã de Aline e o Lucas despertou nele o interesse na irmã de Eva esta por sua vez deixo o Lucas passar despercebido.
Lucas: Eu irei ficar com você. 
Aline ri logo o responde: Mas eu não quero ficar com você. 
Os quatro sentam em uma mesinha de bar e a conversa flui. Eva acaba ficando com Bruno e a Aline deixa se envolver por Lucas. 
Lucas era um homem muito mais velho que a Aline e saberia de todas as artimanhas para chegar ao local que queria com ela. 
No primeiro dia em que os dois ficaram Aline havia se surpreendido, pois havia ido além dos limites com um homem que ela mal conhecia, mas o Lucas este sabia levar uma mulher a loucuras com os seus beijos, com seu corpo e com suas palavras... No entanto ele ainda não havia conseguido chegar ao limite, mas isto aconteceu logo no terceiro encontro, a noite havia sido quente, mas no entanto os dois haviam se esquecido do mais importante: a camisinha. 
Passado dois dias a consciência de Aline pesava e a sua inconsequência a fazia entrar em desespero e se perguntava: E se eu estiver grávida? E se eu tiver pegado uma doença? 
Mas agora já seria tarde demais para ela voltar atrás as consequências viriam da mesma forma, ela estaria sozinha e para onde ela olhava não encontrava saída. Ao procurar por Lucas e lhe explicar o seu desespero o que já seria de se esperar sua reação foi desigual e agora seu desespero aumentaria, reclamos do nosso mundo, mas ao percebe que corremos o riso de perde-lo apreendemos a valorizá-lo e logo Alice que sempre andou na linha se vê nesta situação... Os dias passavam e ela tentava se apegar a algo e pedia com fé que toda aquela situação fosse apenas um pesadelo e realmente foi, dias depois ela recebeu o sinal de que não estava grávida e fez um exame para saber se tinha alguma doença logo este também deu negativo. 
Sobre o Lucas os dois não mais se correspondiam, mas a Alice se encontrava feliz se dava mais valor e aprendeu a nunca mais cometer o mesmo erro. 
Dizem que o bom é sexo com amor, outros dizem que sexo bom é o que dar prazer sendo com amor ou não, mas o que não é nada bom é sexo sem proteção. Previna-se sempre

3 comentários:

Jeniffer Yara disse...

Belo post de conscientização! Amei *-*

Beijos

Gêsa disse...

Concordo totalmente. Normalmente eu dou mais importância ao prazer do que a segurança, exceto é claro quando o assunto é esse,

GM's disse...

Nossa que show >< amei a forma de conscientizar :))